Assista cultos ao vivo

domingo, 21 de setembro de 2014

MARCHA PARA JESUS EM SÃO JOSÉ DOS PINHAIS


MARCHA PARA JESUS:

Veja como foi a Marcha para Jesus em São José dos Pinhais Estado do Paraná.
Milhares de pessoas saíram pelas ruas da nossa cidade, dizendo que Jesus é o Senhor de São José dos Pinhais.
Momento em que o pastor Ival Teodoro da Silva presidente da Convenção da AD do Paraná, fez uso da palavra e orou pela família.

Fonte: Rede Mão Amiga

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

26 LÍDERES MUNDIAIS SE UNIRAM, PARA DESFAZER ATOS DE TERRORISMO DO ESTADO ISLÂMICO.


Vinte e seis líderes políticos de todo o mundo se comprometeram a fazer tudo ao seu alcance para impedir atos de terrorismo do Estado islâmico. Os líderes mundiais se reuniram em Paris nesta segunda-feira (15) para formular um plano para acabar com o grupo extremista, também conhecido como ISIS.

Atualmente, os líderes discordam sobre a necessidade de tropas terreno para combater o Estado Islâmico. O presidente norte americano Barack Obama, o primeiro-ministro britânico David Cameron e outros acreditam que uma campanha de ataques aéreos irá parar os terroristas. Mas o coronel Richard Kemp, ex-comandante das forças britânicas no Afeganistão, disse que as tropas terrestres podem ser necessárias se os ataques aéreos não forem suficientes.

Enquanto acontecia o encontro, os EUA continuaram a sua campanha de ataque aéreo no Iraque. Os ataques aéreos foram os primeiros a serem lançados desde que Barack Obama falou aos norte americanos na última quarta-feira (10) sobre a ofensiva contra o Estado Islâmico. De acordo com o The Christian Post, os EUA realizaram 160 ataques aéreos no Iraque desde agosto.

Compartilhar
Os representantes franceses, presidente François Hollande e ministro das Relações Exteriores, Laurent Fabius, afirmaram que os líderes devem agir rapidamente com os seus planos.

Fonte: Noticia Gospe

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL



Jesus foi e continua sendo o maior libertador, pois a sua palavra Diz: Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. Joao 8: 36. Devemos a Jesus a nossa libertação salvadora, mas não podemos esquecer o ato de D. Pedro I que às margem do Ipiranga bradou: "Independência ou morte".
A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.

Dia do Fico

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."

O processo de independência

Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o " cumpra-se ", ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.

O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.

Estas notícias chegaram as mãos de D. Pedro quando este estava em viagem de Santos para São Paulo. Próximo ao riacho do Ipiranga, levantou a espada e gritou : " Independência ou Morte !". Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.

Pós Independência

Os primeiros países que reconheceram a independência do Brasil foram os Estados Unidos e o México. Portugal exigiu do Brasil o pagamento de 2 milhões de libras esterlinas para reconhecer a independência de sua ex-colônia. Sem este dinheiro, D. Pedro recorreu a um empréstimo da Inglaterra.

Embora tenha sido de grande valor, este fato histórico não provocou rupturas sociais no Brasil. O povo mais pobre se quer acompanhou ou entendeu o significado da independência. A libertação do homem é falha, pois a estrutura agrária continuou a mesma, a escravidão se manteve e a distribuição de renda continuou desigual. A elite agrária, que deu suporte D. Pedro I, foi a camada que mais se beneficiou.
Mas a libertação de Jesus é completa... A bíblia diz: João 8:36 - Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Conversão de Marina Silva ao Evangelho, há quase 20 anos, aconteceu após sentenças de morte; Leia essa mensagem.


Marina Silva é evangélica desde 1995, quando era senadora e na aflição da busca pela cura para seus problemas de saúde, aceitou a Jesus Cristo como único Salvador. Porém, na campanha eleitoral deste ano, o assunto se tornou arma de especulação e promoção de preconceito nas mãos de seus adversários políticos, que cogitam a possibilidade de a candidata à presidência ser uma “fundamentalista” religiosa.

Em um vídeo gravado em 2010, quando disputou a presidência da República pela primeira vez, abrigada pelo Partido Verde (PV), Marina contou o testemunho de sua conversão num culto, e detalhou os momentos difíceis enfrentados por conta de sua saúde fragilizada.

Na infância paupérrima no seringal Bagaço, em Breu Velho, no Acre, Marina esteve exposta por diversas vezes à malária, leishmaniose, hepatite e também sofreu com a contaminação por metais pesados, como o mercúrio, por exemplo.

Adolescente, cogitou tornar-se freira, mas enveredou pela militância política sob a tutela de Chico Mendes e foi eleita senadora pelo PT em 1994, assumindo o posto em 1995. Nesse ano, coberta pelo plano de saúde do Senado, fez tratamentos caríssimos no exterior, com médicos do Chile e dos Estados Unidos. Porém, nada surtia efeito e seu corpo ficava cada vez mais debilitado.

Em seu testemunho, Marina diz que sua visão e orientação espacial estavam prejudicadas, assim como fígado e outros órgãos. Para conseguir comer, seguia uma dieta rigorosa e fazia refeições de hora em hora.

No Brasil, após receber “a terceira sentença de morte”, a então senadora acreana ouviu de um médico que ela “precisava de um milagre”. A afirmação a deixou “irritada e constrangida”, mas aceitou a oferta de conversar com o, à época, jovem pastor André Salles, da Assembleia de Deus.

Marina conta que inicialmente achou que Salles fosse um charlatão, mas o pastor disse a ela ter dons espirituais, como revelação e línguas, e descreveu pessoas à sua volta, o que a levou a crer que algo verdadeiro estava acontecendo. Convidada a aceitar Jesus, Marina concordou e as mudanças começaram pelo seu modo de ser.

Em 1997, dois anos após se converter, ela ainda sofria com os mesmos problemas de saúde, e em durante um momento de oração pelos enfermos num culto, lembrou da sigla DMSA, que descreve um remédio experimental que havia sido apresentado a ela nos Estados Unidos. Encorajada pela revelação, Marina aceitou tomar três doses da droga e a partir de então, sua saúde foi restaurada.

sábado, 30 de agosto de 2014

MARINA EMPATA COM DILMA NO PRIMEIRO TURNO E PODE GANHAR COM LARGA VANTAGEM NO SEGUNDO TURNO.


Marina empata com Dilma no 1º turno e pode ganhar com larga vantagem no 2º turno
Dilma e Marina têm 34% das intenções de voto cada no primeiro turno, mais do que o dobro de votos do terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB)

São Paulo (SP), 29 de Agosto de 2014
ALEXANDRE CAVERNI (REUTERS)

Marina vem ganhando espaço no pleito (Divulgação)
O maremoto causado pela entrada de Marina Silva na corrida presidencial deste ano continua a causar estragos nos adversários e agora a candidata do PSB já aparece empatada em primeiro lugar com Dilma Rousseff (PT), derrotando com folga a presidente numa segunda rodada, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira.

Dilma e Marina têm 34% das intenções de voto cada no primeiro turno, mais do que o dobro de votos do terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB), que aparece com 15%. Num segundo turno, a candidata do PSB venceria com 50% dos votos, contra 40% de Dilma. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

Pesquisa Datafolha divulgada dia 18 mostrava Dilma com 36%, seguida por Marina com 21% e Aécio com 20%. Num segundo turno, Marina e Dilma estavam no limite do empate técnico, com a candidata do PSB à frente numericamente: 47 a 43%.

Uma observação ligeira dos números sugere que Marina "rouba" votos de todos os candidatos e segue atraindo os indecisos.

Os demais candidatos agora somam 3% das intenções de voto, contra 5% na pesquisa anterior; os indecisos passaram a 7%, ante 9%; os que planejavam anular ou votar em branco foram para 7%, antes eram 8%.

Marina tem se beneficiado do fato de personificar melhor que qualquer outro candidato o desejo de mudança da população, expresso nas pesquisas eleitorais, e pela comoção causada pela trágica morte do ex-candidato do PSB Eduardo Campos, de quem era vice na chapa.

Além disso, ela tem um forte recall da última eleição, quando conseguiu quase 20 milhões de votos disputando a Presidência pelo PV.

Por conta do processo de substituição de Campos e por circunstâncias específicas, como a entrevista no Jornal Nacional na noite de quarta-feira, Marina tem se beneficiado de uma forte exposição na mídia, que tem compensado com folga seu pouco tempo na propaganda eleitoral obrigatória no rádio e na TV.

As campanhas de Dilma e Aécio, que inicialmente evitavam atacar a candidata do PSB, já passaram a adotar outra estratégia. Aécio, por exemplo, tem batido na tecla de que ele representa a mudança com segurança em contraposição ao que chama de improviso, em alusão a Marina.

Nesta semana duas outras pesquisas mostraram Marina isolada em segundo lugar e derrotando Dilma num segundo turno. Pelo Ibope, Dilma tinha 34%, Marina 29% e Aécio 19%. Num segundo turno, Marina vencia Dilma por 45 a 36%.

O Datafolha mostrou também oscilação para baixo na avaliação do governo Dilma. Depois da recuperação mostrada na última pesquisa, quando atingiu 38%, a avaliação ótima/boa passou para 35%. Já a avaliação ruim/péssima passou de 23 para 26%.

O Datafolha ouviu 2.874 pessoas, na quinta-feira e nesta sexta, em 178 municípios do país.



Seguidores